The School of Life para sua empresa

Oferecemos workshops presenciais ou virtuais para empresas, ajudando o seu negócio a prosperar com o desenvolvimento de 20 habilidades emocionais para colaboradores, clientes e liderança.

Entre em contato

Decisão

Tomar boas decisões é um aspecto fundamental de ser um amigo, colega de confiança ou um líder excelente.

Ainda assim, estudos mostram que, muito frequentemente, nossas emoções têm uma influência enorme sobre a qualidade da nossa tomada de decisões, nos impedindo de fazer julgamentos sólidos. Agora, mais do que nunca, estamos sendo obrigados a tomar inúmeras decisões, tanto na vida pessoal, quanto profissional, rapidamente e sem muita certeza do que vai acontecer mais para frente.

Pode parecer estranho pensar na tomada de decisão como uma habilidade emocional, e não racional.

Mas enquanto o pensamento crítico racional é, sem dúvida, fundamental em muitas áreas de tomada de decisão, na The School of Life acreditamos que as decisões mais frequentemente dão errado por razões emocionais do que intelectuais.  A procrastinação, o querer agradar a todos, o perfeccionismo, o nosso ânimo, o inconsciente, entre outros interferem na maneira como decidimos.

No entanto é possível nos tornarmos mais habilidosos nesses processos de tomada de decisões e no papel que a emoção desempenha nele.

 

Neste workshop de duas horas vamos:

• Considerar as barreiras à tomada de decisões efetivas, incluindo o esgotamento, o medo do arrependimento e falta de autoconhecimento;

• Descobrir nosso estilo pessoal de tomada de decisões;

• Criar um plano para como agiremos após nossa tomada de decisão e também como acompanhá-la e ajustá-la ao longo do tempo;

• Aprender estratégias para chegar a decisões mais sólidas e sábias

 

Definição

Decisão é a habilidade de tomar uma decisão com eficiência e no tempo adequado, com a devida consciência e regulação das respostas emocionais que podem influenciar uma decisão.

 

O que caracteriza o domínio dessa habilidade?

Pessoas com capacidade de decisão tendem a dedicar tempo suficiente, mas não excessivo, na tomada de uma decisão. Elas têm consciência da influência potencial de suas tendências emocionais sobre suas decisões. Elas se dispõem a sacrificar alguma coisa e a reavaliar uma decisão posteriormente. Elas aceitam o risco de fracasso e se sentem confiantes com a imperfeição no local de trabalho e na vida pessoal. Seu comportamento é caracterizado por prioridades fortes e sólidas, o conhecimento de metas, recursos e motivos para uma decisão, bem como a capacidade de lidar e ajustar as decisões erradas de acordo.

 

O que caracteriza a falta dessa habilidade?

As pessoas sem capacidade de decisão têm um risco maior de procrastinação. Devido à ansiedade sobre as consequências de suas decisões, elas têm dificuldades em priorizar e comparar adequadamente opções diferentes ou aceitar trocas. Por outro lado, quando finalmente tomam uma decisão, elas podem achar difícil distinguir entre seus impulsos emocionais e uma escolha racional. Isso pode resultar em decisões movidas pela emoção e que, portanto, podem se mostrar erradas (resultando em um círculo vicioso de indecisão). A consequência no local de trabalho geralmente é fadiga de decisão nas equipes, procrastinação, pensamento de grupo, excesso de trabalho devido à falta de prioridades, dependência de opiniões de colegas e gestores, busca excessivamente por tranquilização sobre as decisões e a necessidade de controle excessivo.

 

Depoimentos

“Eu aprendi a utilizar ferramentas simples e existentes que já estão acessíveis a mim, ‘reformulando problemas’ a partir de uma nova perspectiva”

“Conteúdo atraente e tutores excelentes”