Voltar
Vencedores e Perdedores na Corrida da Vida

Vencedores e Perdedores na Corrida da Vida

A sociedade tem a tendência de rotular algumas pessoas como “vencedoras” e outras como “perdedoras”. Além da evidente pequenez desta categorização, o problema fundamental disso é a sugestão de que a vida pode ser uma corrida individual e singular e que, no final dela, é possível classificar todos os competidores do melhor ao pior. 

A verdade mais confusa e complexa é a de que a vida realmente é composta por diversas corridas que se desdobram ao mesmo tempo em terrenos diferentes e com diversos tipos de troféus e medalhas à vista. Há corridas por dinheiro, fama e prestígio, que, claro, atraem muitos espectadores e, em alguns círculos sociais, a maior parte da cobertura. Mas também há outras corridas. Há aquela que revela quem consegue ficar mais calmo diante da frustração, uma para identificar quem pode ser mais gentil com crianças, outra que mede o quanto alguém é bom na amizade. Também há corridas focadas no quanto uma pessoa presta atenção ao céu noturno ou o quanto consegue se deliciar com as frutas do outono. 

Ninguém vence ou perde o tempo todo

Parece que não podemos ser vencedores em tudo. Ao examinarmos as pessoas mais de perto, é possível ver que aqueles que aparentam levar todos os prêmios e são saudados em alguns lugares como atletas super-humanos da vida não podem ser realmente triunfantes em tudo. Eles, provavelmente, farão uma bagunça tremenda em algumas das corridas menos familiares ou prestigiosas das quais participam; em algum ponto do ginásio, podem cair, tropeçar, reclamar em voz alta sobre as condições da pista e, talvez, rebaixar o evento a algo inútil do qual não vale a pena participar. 

Se não dá para ser um vencedor em tudo, o lógico é que também não seja possível ser um perdedor em tudo. Nunca fracassamos retumbantemente na vida em si. Quando erramos em áreas comuns e nos sentimos rejeitados e isolados, o universo só está nos dando uma chance excepcional de começar a treinar, o que significa que um dia nos tornaremos atletas de sucesso em outras corridas menos conhecidas, mas tremendamente importantes. Pode ser algo em torno de manter o senso de humor, demonstrar gratidão, perdoar, apreciar, abrir mão e seguir em frente. Estas são as pistas nobres nas quais aqueles que “perderam” podem aprender, finalmente, de maneira adequada e redentora, a “vencer”. 

Ressignificando sucesso e fracasso

O mundo moderno coloca uma pressão imensa sobre nós para que tenhamos êxito na vida. Paralelamente a isso, muito raramente nos esforçamos para enfrentar os dias mais desafiadores com dignidade, compreensão, sabedoria e – por que não – um toque de humor. Por isso é útil é útil nos dedicarmos a ressignificar os termos sucesso e fracasso. Fracassar bem é uma das artes mais necessárias que precisamos aprender. 

Texto: The School of Life

Veja nosso calendário completo aqui .

By The School of Life

Compartilhe este conteúdo

Conteúdos Relacionados

Como Controlar Seu Crítico Interno

Não é algo que nos sentimos sempre capazes de discutir livremente, mas muitos de nós somos assombrados por uma voz interna crítica e profundamente negativa – e uma sensação de…

Saiba Mais