Voltar
Como Narrar Sua História de Vida

Como Narrar Sua História de Vida

imagem mailchimp 10.16 1

Poucas pessoas se dão ao trabalho de escrever suas autobiografias. Em geral, tendemos a pensar que esses registros devem ser realizados apenas por celebridades ou pessoas muito idosas. Mas, no fundo, essa é uma atividade universal! Ainda que não publiquemos a nossa história, a escrevemos em nossa mente mesmo assim. A cada dia, escrevemos um capítulo a respeito de quem somos, para onde vamos e por que as coisas aconteceram do jeito que aconteceram. 

Muitos de nós são narradores impressionantemente duros dessas histórias de vida. De uma maneira quase cruel, dizemos a nós mesmos que fomos idiotas desde o começo ou que arruinamos tudo e cometemos um erro atrás do outro. É assim que narramos alguns acontecimentos do dia a dia, especialmente tarde da noite, quando nosso estoque de otimismo já acabou e o pessimismo vem nos assombrar.

Acreditamos que não há nada de útil em nossos métodos particulares de autoflagelo na narração. No nosso entender, sempre pode haver formas muito mais gentis, amorosas e equilibradas de contar um mesmo fato, sem que ele deixe de ser verdade. Você poderia apresentar sua história de vida a Dostoievsky ou Proust e desse encontro com uma versão muito mais suportável, comovente, terna e nobre. 

Escrever nossos sentimentos é a chave dessa mudança de postura. Por meio da escrita, reconhecemos padrões que devem ser observados e, talvez, superados. Podemos traçar uma estratégia – uma tarefa muito negligenciada. Podemos nos perguntar por que fazemos as escolhas que fazemos, questionar narrativas com problemas e criar outras novas. Podemos considerar ideias antes de nos comprometermos com elas e reforçar bons pensamentos que já conhecemos. 

Todo dia, somos induzidos a narrar um pouco de nossa história de vida a nós mesmos: explicamos por que houve dor, por que nos esquecemos de aproveitar uma chance e por que estamos em uma situação infeliz. Escrever é, essencialmente, a tarefa de descobrir e desenvolver o que pensamos. Dificilmente existe uma meta pessoal mais importante. 

 

Texto: The School of Life

Veja nosso calendário completo aqui

By The School of Life

Compartilhe este conteúdo

Conteúdos Relacionados

Autocompaixão no Trabalho

Para sobreviver no mundo moderno, precisamos ser muito bons na autocrítica. Precisamos garantir que nada que nosso pior inimigo possa nos dizer já não tenha sido admitido integralmente por nós;…

Saiba Mais

Como o Romantismo Acabou com o Amor

Apaixonar-se por alguém parece um processo tão pessoal e espontâneo que pode soar estranho – e até um tanto insultante – sugerir que outra coisa (que podemos chamar de sociedade…

Saiba Mais