Voltar
A vida não é justa. Na verdade, é inerentemente injusta.

A vida não é justa. Na verdade, é inerentemente injusta.

Uma relação de trabalho de longa data chegará ao fim. Um romance terminará repentinamente. Pessoas ficarão estranhas com você, te deixarão de fora de coisas agradáveis e você nem saberá o por quê. Você lerá sobre você mesmo nas redes sociais e cada medo se confirmará.

Muitas coisas dão errado ao longo da vida e você vai querer morrer e jogar tudo pra cima e desistir desse mundo doloroso.

Quando você olha para uma criança, isso é o que espera por elas. Isso é o que emociona quando você olha um bebê dormindo. Você está olhando para a inocência através das lentes de uma experiência dolorosa. Eles sofrerão e simplesmente não há nada que você possa fazer para ajudá-los, a não ser uma coisa: ensiná-los que o sofrimento é normal. Não é sinal que a vida vai dar errado, é uma parte comum da biografia de todos.

A única maneira é aprender a lutar.

A tentação será a de se isolar sob uma rocha, de recolher a ponte levadiça, de esconder-se em uma concha. Mas os desafios são como o fogo, um leito de brasas que você precisa atravessar. A luta é de se esperar, as dificuldades são um sinal de que as coisas estão nos trilhos.

Estar sendo rejeitado ou ter inimigos não é evidência que sua vida é uma ruína, é a prova de que você encontrou algo pelo qual vale a pena viver.

Nossa mentalidade – a forma como vemos ou abordamos o mundo e os problemas da vida – frequentemente determina nosso nível de resiliência e, portanto, como lidamos com mudanças e perdas.

Uma das formas de cultivar uma mentalidade mais resiliente é notar como nós contamos a história de quando as coisas dão errado. Se nós pudermos ver o fracasso e os obstáculos como uma experiência de aprendizado que é parte da condição humana, nós seremos muito mais capazes de lidar com as crises a longo prazo.

Texto do The Book of Life

By The School of Life

Compartilhe este conteúdo

Conteúdos Relacionados

Autocompaixão no Trabalho

Para sobreviver no mundo moderno, precisamos ser muito bons na autocrítica. Precisamos garantir que nada que nosso pior inimigo possa nos dizer já não tenha sido admitido integralmente por nós;…

Saiba Mais

Como o Romantismo Acabou com o Amor

Apaixonar-se por alguém parece um processo tão pessoal e espontâneo que pode soar estranho – e até um tanto insultante – sugerir que outra coisa (que podemos chamar de sociedade…

Saiba Mais