Como Transformar Discussões em Diálogos no Amor


tao longe tao perto 23

Em um relacionamento, sempre existirão incômodos legítimos sobre os quais vamos querer e precisar reclamar. Por que o outro nunca liga durante o dia? Nosso parceiro ou parceira realmente precisa passar tanto tempo no trabalho toda noite? Por que nós é que precisamos tomar a iniciativa no sexo toda vez? Como fazer o amor durar em meio a tantos pequenos grandes incômodos?

 
Evite caminhos que levem à humilhação
As perguntas podem ter fundamento. Mas é sempre útil manter atenção para não ingressar em um dos dois caminhos que podem transformaras nossas queixas  na humilhação do outro. 
O primeiro é o caminho da amargura, que é a raiva abafada pela vergonha. Corremos o risco de ingressar nessa trajetória quando dizemos - com os lábios tremendo ou de forma sarcástica - algo, como: “acho que foi mais um dia super corrido no trabalho de novo”; ou “a bateria do celular acabou, né?”. 
 
Um segundo caminho, igualmente desastroso, é o da fúria. Não dizemos nada por tempo demais e, então, de repente, cedemos a uma raiva desproporcional e aparentemente injustificada. Então, por causa de um incidente minúsculo em particular, depositamos o equivalente a seis meses de fúria secretamente acumulada. Assim, viramos um alvo fácil para acusações de insanidade. 
 
Pratique a arte da reclamação bem-sucedida
Para dominar a arte da reclamação bem-sucedida, precisamos confiar que não somos, como nosso passado - talvez - nos fez acreditar, dignos de ser ignorados para sempre. Podemos nos sentir infelizes, dizer isso a nosso parceiro e esperar restituição e compreensão. Afinal, ele provavelmente não deixou de atender alguma de nossas expectativas de propósito. 
 
Não estamos em relacionamentos para sofrer em silêncio ou com fúria; talvez tenhamos vindo de infâncias infelizes e suprimidas, mas é a prerrogativa da vida adulta poder reclamar. Simplesmente precisamos dar espaço e compaixão a nós mesmos para aprender a fazer isso com sucesso, ou seja, sem sarcasmo nem raiva. 
Amor é um sentimento, amar é uma habilidade 

Muitas pessoas desistem cedo demais do amor. Algumas não se dão a oportunidade de avaliar a ideia de que algumas situações aparentemente terminais podem ser contornadas e que nem sempre o fim do amor é inevitável. Outras não se permitem buscar entender e aprender com profundidade sobre como fazer o amor durar. Mas acreditamos que sempre é tempo de aprender.

 

Texto: The School of Life

Veja nosso calendário completo aqui.

Recent entries