The School of Life para sua empresa

Oferecemos aulas e workshops para empresas, ajudando seus parceiros e clientes a terem vidas mais plenas e desenvolverem inteligência emocional.

Entre em contato

Confiança

Os maiores projetos e planos morrem por um motivo banal: não ousamos. Pesquisas mostram que ter o nível certo de confiança nos torna mais simpáticos, produtivos, influentes e, essencialmente, bem-sucedidos. É por isso que quase metade de todos os empregadores dizem buscar confiança ao contratar.

Neste workshop, vamos:

-    Considerar os desafios e benefícios de se sentir confiante e parecer confiante no trabalho e na vida

-    Aprender sobre ‘vozes internas’ que guiam a forma como nós pensamos e considerar como podemos nos conectar com vozes internas mais positivas, encorajadoras e úteis

-    Pensar em formas de responder positivamente a obstáculos sem perder a confiança

-    Aprender técnicas para reconhecer e evitar a autossabotagem

-    Praticar demonstrar confiança e promover nossas próprias capacidades

 

Definição

Confiança é a habilidade de conhecer as próprias habilidades e poder colocá-las em prática.

O que caracteriza o domínio dessa habilidade?

Pessoas com altos níveis de confiança são capazes de demonstrar abertamente suas habilidades e celebrar seus próprios sucessos ou os de sua equipe. Elas podem conversar sobre histórias de sucesso passadas e contradizer aqueles que duvidam da própria experiência. Elas se rebelam contra “vozes interiores” negativas que muitas vezes são a fonte de autocrítica que nos impedem de atingir nosso potencial. Quando se trata de novos projetos e desafios no trabalho, elas têm uma consciência otimista e realista do que são capazes de fazer e não têm medo de perseguir seus objetivos.

O que caracteriza a falta dessa habilidade?

Pessoas com falta de confiança geralmente têm mais probabilidade de sabotar o próprio desempenho ou mesmo o da equipe. Elas tendem a dramatizar as consequências de possíveis erros ou fracassos pessoais. Devido à sua profunda crença de não serem bons o suficiente, elas podem achar difícil cumprir prazos, tender a procrastinar, se concentrar em detalhes sem importância e hesitar em entregar resultados. Pode ser especialmente difícil a elas apresentar seus trabalhos publicamente, devido ao medo de serem desmascarados como de baixo desempenho.

‘Quão pouco pode ser feito sob o espírito do medo.’

Florence Nightingale