Você é normal?

As únicas pessoas que podemos considerar equivocadamente "normais" são as que ainda não conhecemos muito bem

Todos somos assombrados privadamente pelo medo de sermos assustadoramente esquisitos

Nossa cultura tentou projetar uma ideia de uma identidade organizada, equilibrada e educada como a forma de ser padrão das pessoas. Isso nos estimula a não termos paciência e nos aborrecermos conosco mesmos quando não correspondemos às expectativas.

Queremos gritar que precisamos parar, nos recompor e deixar de sermos tão fracos e tão esquisitos.

Mas, na verdade, ninguém é muito normal.

As únicas pessoas que podemos considerar equivocadamente "normais" são as que ainda não conhecemos muito bem. De perto, somos todos gloriosamente compulsivos, superansiosos, confusos e excêntricos. Isso não é motivo de vergonha, apenas a confirmação de nossa humanidade básica compartilhada.

Em vez de esperar que sejamos normais no sentido de sermos calmos, coerentes e racionais, nos envergonharmos quando isso não acontece, é muito melhor reconhecermos a onipresença e a pura normalidade da loucura, do desvario e do alarme em cada alma humana.

Somos todos fascinantemente peculiares.

Na The School of Life, nossa gama de aulas nos ajuda a entender essas peculiaridades fundamentais.

 

Recent entries