Como Encontrar Propósito no Trabalho

É claro que nós vamos ao trabalho pelo dinheiro e que as pessoas que você conhece na empresa podem ser ótimas. Mas em boa parte do tempo – embora nós não exatamente toquemos nisso – nós estamos procurando outra coisa em nosso trabalho: um senso de propósito.

Quando falamos sobre trabalhos sendo significativos ou não, nós estamos no fundo perguntando se esses trabalhos estão ajudando a vida de alguém a ser melhor: nós estamos imaginando se nosso trabalho tem chance de aumentar o prazer ou reduzir o sofrimento de alguém. Diferente do que a economia convencional nos diz, nós estamos desesperados para fazer uma contribuição significativa para o bem. É difícil ser feliz no trabalho sem uma sensação de que nós estamos ajudando os outros.

A preocupação com o trabalho não ser significativo tende a aparecer de cinco formas principais:

Um: Meu trabalho parece insignificante porque os produtos são triviais

Solução: Vermeerficação

732px Jan Vermeer van Delft 025 1

Em seu quadro The Little Street, Vermeer mostra a dignidade e honra de tarefas simples – como retratadas pelo pintor, essas atividades não são mais triviais ou pequenas. As atividades supostamente menores (esfregar os azulejos, remendar uma meia, varrer a sarjeta) são na verdade meios pelos quais algo muito importante está sendo alcançado. Esses atos trazem ordem e graça ao espaço. Nós temos muitas necessidades. Um chão limpo é uma delas. Manter papéis unidos é outra. Muitas diferentes coisas na vida precisam ser atendidas para que as coisas fiquem bem em geral, e cada uma está, portanto, conectada com projetos maiores da existência.

Dois: Meu trabalho parece insignificante porque eu sou uma pequena engrenagem de uma grande máquina

Solução: O Romance

Parece difícil fazer as pessoas verem onde elas se encaixam no todo – e, portanto, sentirem como o trabalho delas é significativo. Mas, na verdade, nós temos muita experiência cultural lidando com problemas parecidos. Desde o meio do século XIX, romancistas começaram a experimentar com a ideia de costurar múltiplos enredos juntos. Idealmente, toda grande empresa precisa implementar os recursos da narrativa: eles precisam da sua própria versão da história de espiões para unir elementos e deveriam, talvez, ter alguns romancistas na folha de pagamento. Uma vez que eventos dispersos são costurados em uma história, eles podem começar a parecer muito significativos de fato.

Três: meu trabalho parece insignificante porque eu não respeito meus clientes

Solução: Valor Intrínseco

Os clientes (talvez seja uma companhia aérea ou um hotel, uma rede de roupas ou um spa) talvez sejam quietos, preocupados, apáticos ou simplesmente grosseiros. Mas eles são clientes de qualquer forma; não importa quão imperfeitos seus modos são, eles estão pagando. É a cultura do negócio que deve compensar a indelicadeza deles. Além disso, deve-se ajustar a sensação de valor de uma atividade independentemente da resposta dos clientes. Respeito próprio toma o lugar da adulação.

Quatro: Meu trabalho parece insignificante porque eu não respeito meus chefes

Solução: Imaginação Ascendente

É fácil odiar os próprios chefes. Mas o verdadeiro desafio, que pode também ajudar a recuperar a motivação, é tentar imaginar como é ser o chefe. Muitas vezes, o sentimento de que não é significativo trabalhar para alguém resulta de uma incompreensão de por que ele age como age: por que eles são irritadiços, sombrios, difíceis de estar perto, estão com pressa ou preocupados. Toda empresa precisa de alguém que possa levar os empregados à mente do chefe, de modo que a motivação não se perca no meio da pura incompreensão de como pode ser a vida através dos olhos de outra pessoa.

Cinco: Meu trabalho parece insignificante porque qualquer diferença acontece tão lentamente

Solução: As Lições da História

Se olharmos numa larga escala, é óbvio que o mundo muda – e frequentemente melhora. Mas isso só é aparente quando o período é suficientemente amplo. Ano após ano, pode parecer que nada está dando certo ou que as coisas estão na verdade regredindo. Esse é o problema encarado por políticos, a comunidade médica e muitas companhias também: as coisas estão indo bem, mas aqueles que dependem dela não conseguem ver a mudança de uma forma suficientemente rápida e, portanto, carregada de significado. O que é necessário fazer é traçar os benefícios do efeito cumulativo. É um movimento crucial que todas as empresas devem aprender se elas quiserem manter seus empregados mais impacientes a bordo.

Conclusão

Tipicamente, a administração vê o ‘sentido’ de qualquer trabalho em termos de sua contribuição para o sucesso financeiro da empresa. Isso, no fim das contas, é como a vaga é justificada e por que vale a pena empregar alguém para preenchê-la.

Mas essa racionalização não se conecta com a experiência humana do sentido. Quase ninguém consegue achar seu trabalho significativo porque ele garante aos acionistas uma taxa de retorno no capital investido marginalmente superior à que conseguiriam com um investimento rival. É de fato essencial para uma corporação realizar isso, senão eles vão eventualmente fechar, mas o sucesso financeiro de uma empresa é sempre muito distante das preocupações do empregado médio. Ele acontece em um lugar muito distante. É claro, teoricamente os funcionários sabem perfeitamente bem que seu trabalho depende da saúde econômica da empresa. É só que esse não é um grande motivo pessoal. É na experiência cotidiana que um trabalho parece significativo – ou não. E isso é uma grande questão. Porque o senso de propósito é uma das coisas que determinam o maior problema de todos: quão duro e bem as pessoas irão trabalhar.

 

Veja no nosso calendário as nossas aulas sobre Propósito, Carreira e Trabalho

https://www.theschooloflife.com/saopaulo/calendario/

Recent entries